Como Uma Tatuagem no Céu.


Como uma tatuagem no céu.
As aves que voam sem destino.
A chuva que cai.
A flor que ascende em direção ao sol.

Como uma tatuagem no céu.
O sol, a lua, as estrelas, o infinito.
A eterna luta por espaço.
Um que caiba no vazio que bate no peito de cada um.

Como uma tatuagem no céu.
As montanhas, tamanhas,
De serras que encerram a visão do horizonte.
Distante.

Como a terra é da tatuagem que foi feita no céu.
Como uma tatuagem no céu.
Você... Partindo.
A mim, ao meio.

Ei... Are you ok?



Ei! Sorria... Mas não se esconda atrás desse sorriso... Mostre aquilo que você é, sem medo. Existem pessoas que sonham com o seu sorriso, tipo, eu. Viva! Tente! A vida não passa de uma tentativa. Ei! Ame acima de tudo, ame a tudo e a todos. Não feche os olhos para a sujeira do mundo, não ignore a fome! Esqueça a bomba, mas antes, faça algo para combatê-la, mesmo que se sinta incapaz. Procure o que há de bom em tudo e em todos. Não faça dos defeitos uma distancia, e sim, uma aproximação. Aceite! A vida, as pessoas, faça delas a sua razão de viver. Entenda! Entenda as pessoas que pensam diferente de você, não as reprove. Ei! Olhe... Olhe a sua volta, quantos amigos... Você já tornou alguém feliz hoje? Ou fez alguém sofrer com o seu egoísmo? Ei! Não corra. Para que tanta pressa? Corra apenas para dentro de você. Sonhe! Mas não prejudique ninguém e não transforme seu sonho em fuga. Acredite! Espere! Sempre haverá uma saída, sempre brilhará uma estrela. Chore! Lute! Faça aquilo que gosta, sinta o que há dentro de você. Ei! Ouça... Escute o que as outras pessoas têm a dizer, é importante. Suba... faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo, Mas não esqueça daqueles que não conseguem subir a escada da vida. Ei! Descubra! Descubra aquilo que há de bom dentro de você. Procure acima de tudo ser gente, eu também vou tentar. Ei! Você... não vá embora. Eu preciso dizer-lhe que... te amo, te adoro, simplesmente porque você existe.
Não quero ser na tua vida o início do fim, nem o fim de um começo, mas o início de um começo sem fim. Não sei se dentro de você existe um pouco de mim, mas dentro de mim existe muito de você. Nunca feche os olhos para o mundo, pois há pessoas que precisam do seu olhar. Há uma pessoa aqui que lhe ama, incondicionalmente. Se você soubesse o sabor agridoce que é te amar. Ah o amor ... que nasce não sei onde, vem não sei como e dói não sei porque.
Quando alguém conhece nosso pior e se apaixona por ele, daí é que ficamos com vontade de melhorar. E, sabe, é tão bom ter a certeza de que procuro você desde o dia em que nasci. Como sempre disse, é uma ligação transcendental, que começa na alma e não tem explicação. Ninguém é tão forte, que nunca tenha chorado. Ninguém é tão fraco, que nunca tenha vencido. Ninguém é tão inútil, que nunca tenha contribuído. Ninguém é tão sábio, que nunca tenha errado. Ninguém é tão corajoso, que nunca tenha sentido medo. Ninguém é tão medroso, que nunca tenha coragem. Conclusão... Ninguém é tão ninguém que não precise de alguém!

Estou pensando em você nesse momento. Te amando. Te querendo. Muito.

Liberté



Vamos fugir ontem e casar?
Porque hoje já seria tarde demais.
Você me desencantou, pra me encantar.
Hoje sou um homem livre, mas preso ao teu caminhar.

Sobre o amor, sob o amar,
Estamos acima do céu, do sol,
Eu desenharei nuvens pra você caminhar,
Serei a chuva da tua tarde a desaguar.

Espero que, num futuro não tão distante,
Nosso presente seja a ausência de distância.
Quero estender as mãos pra te alcançar,
Pra tua boca, então, em beijos silenciar.

Tanto faz. Tanto fiz.



Você não tem o direito de voltar.
O lugar que fora teu, já não o é,
Outra pessoa descansa em tua paz.

Não lhe desejo mal algum, pelo contrário,
Desejo-lhe todo o amor do mundo,
Exceto o meu.

Espero que encontre alguém,
Ou “alguéns”, pra mim tanto faz,
Pois tanto fiz e nada ganhei.

Talvez o melhor seja mesmo fugir, fingir...
E, se me encontrar por aí,

Desencontre-me.

Shattered mirror, broken heart.



Meu subconsciente me trai todas as noites. Sonho contigo e acordo te procurando... Em vão. E em vãos. De portas cerradas, de quartos vazios, de espelhos quebrados, de reflexos meus... De minha alma... Despedaçada.

Sentir, Sem ti.




Tenho pena de quem acredita em você e nessa sua falsa capacidade de amar. Outros viverão o que vivi, verão o vi e serão mais felizes sem ti.


“Não há porque chorar por um amor que já morreu. Deixa pra lá, eu vou, adeus. Meu coração já se cansou de falsidade.”

Se você flor, eu pranto.



Quem planta o pranto dentro do seu coração?
Quem semeia, sem meias palavras,
Sem meias verdades, tua fértil ilusão?
Dentre todos os amores deste jardim,
Eu es-colhi você, minha flor.
Eu fiz o sol nascer todas as manhãs pra te aquecer,
Senti na pele o teu calor, que me faz aqui ser...
T’eu, inteiramente teu, como a raiz é do chão.
Chorei a chuva pra te molhar,
Nenhuma lágrima derr-amada fora em vão.
Do ventre da terra eu vi você brotar,
E eu pude então, enfim, amar.

Tens o Direito de Ir e Rir



No meu relógio de parede parado,
A eterna mesma hora chora
Por saber que não vais chegar.

Tua ida levou parte da vida
Que outrora habitava
Este nosso lugar.

Mas entendo que não fiques,
Às vezes temos que ir
Pra não chorar.

Last Lost



De longe eu vi o farol
Que trazia consigo a escuridão.
Esvaziando o corpo de toda a alma,
Apagando do mundo minha mais bonita poesia.
Se eu soubesse que aqueles
Eram meus últimos segundos ao teu lado,
Eu teria me escondido dentro de você primeiro.
Eu teria te contemplado um pouco mais.
Aquele teu sorriso de canto,
Calando o meu canto, 
Sufocando o teu pranto...
Meu amor, eu teria feito tanto.
Eu teria lhe dado quantos "Eu te amo"
Coubessem naquele pequeno espaço.
Se eu soubesse que aquele era o fim,
Eu teria, ali, começado a sentir saudades de você.

Parte Ida



Antes de ir para sempre,
Posso ficar por certo tempo?
Mesmo sendo isso, de tantas formas, errado.

Tantas formas, tantas faces, tantas fases.
Nunca antes houve tantos "tantos".
Talvez nosso pecado tenha sido o excesso.

Sido, ido...
Ido e vindo, vindo e indo,
Indo e voltando.
E de tantas voltas, nosso mundo girou.

E virou, do avesso,
Contrário, oposto,
E assim, posto em seu lugar,
Nosso mundo, em amor, desaguou-se mar.

Sim, confesso, meu amor,
Preciso me acostumar ainda.
Preciso me acostumar à ida.

Porque partir não significa apenas ir,
Partir é tornar o que antes fora apenas um, dois.
Quem vai, parte, quem fica, partido.

Poeta Sem Quinhão



Apontem seus corações para outra direção!
Sou um homem sem caminho, sem chão,
Sou o verso calado de uma velha canção.

Vago. Vá, go. Vá logo.


Bom mesmo é olhar para as fotos "daquela pessoa", ler suas cartas, suas mensagens, encontrar seus objetos há tanto perdidos... E não sentir absolutamente nada. Sinto-me desintoxicado. Vago. Vazio. E ao mesmo tempo, completo novamente. Sim, sou rei de mim.


“E se já não sinto os teus sinais, pode ser da vida acostumar”.

Escre(ver) e Nunca Viver.



Minha vida é falar e escrever pequenos e grandes textos, sobre pequenos e grandes amores, mas nunca escrever, e viver, um pra mim.

Bate, Toca e Silencia.



Essas coisas do coração já não me batem mais. Talvez por eu ter me cansado de tanto apanhar. Essas músicas sentimentais já não me tocam mais. Talvez por eu ter me cansado de tanto escutar, e tão pouco sentir. Amor é bonito, amar é infinito, mas o silêncio que lhes cala é um grito.

Coleta Seletiva



Não é que sejamos fracassados no amor, ou que ninguém se interesse ou goste da gente. Não, não é isso. Nós é que ignoramos essas pessoas que se interessam ou gostam da gente, porque sempre pensamos que podemos conseguir uma pessoa melhor, mais bonita, mais abastada, enfim, existem várias desculpas canalhas e egoístas. É da natureza humana esse tipo de lamúria hipócrita. Pare, se olhe no espelho, pense, reflita e seja bem sincero(a) consigo mesmo(a). Verás que a culpa não é da vida ou do amor. A culpa é sua. E somente sua.

DORmIR



Hoje me perguntaram “Vinícius, qual o seu lugar preferido em todo o mundo?”. Respondi de imediato “Minha cama!”. Em seguida me perguntaram sobre o que mais gosto de fazer, e respondi com o mesmo imediatismo óbvio “Dormir!”. Ok, cama não é exatamente um lugar, tá mais pra um objeto que, geralmente, está localizado em um lugar específico, mas o que vale é a metáfora. Sabe, daquele lugar meu, só meu, onde eu posso ser eu, e ao mesmo tempo deixar de ser, mesmo que por algumas  horas diárias.  Sim, “algumas horas de diárias”, mas que no balanço final acabam por representar quase outra vida dentro da nossa própria vida. Ou quase uma “não-vida” dentro da nossa vida. Dormir é o mais próximo que temos de inexistir. E por isso eu amo dormir. Amo mais do que quase tudo e todos. Dormir é o ato mais egoísta que existe! Você se esconde dentro de si. Se fecha. Se tranca. E não há chave que te permita abrir porta alguma, e pra ninguém, é só você e você, mesmo que em um “sono acompanhado” ou “compartilhado”, pois o que se compartilha é o espaço externo, o interno jamais! Tenho sérias dúvidas se realmente dormimos ao longo do viver ou se vivemos ao longo do dormir.

Vá embora! E me deixa voltar.



Que injustiça nenhuma no mundo possa justificar tentativa alguma de sabotar minha própria felicidade! E que desamor alheio nenhum me faça perder a fé na vida e nas pessoas que realmente a fazem valer a pena! 

Insuficiência: Eu, sombra de mim mesmo.



- Você foi julgado e classificado como “Insuficiente”, Vinícius Sanches! Essa será sua sentença, seu fardo... A “Insuficiência”. Algo a questionar?

- “...”

- Eles sempre possuirão algo que você não possui. Algo sem nome, sem forma e sem uma classificação certa ou minimamente explicável. Deseja saber o porquê?

- Não. “Ela” deve ter seus motivos.

- E você acredita neles, os aceita?

- “...”

- Apesar de tudo o que fez, doou e sacrificou, não guardará mágoas “Dela”?

- “...”

- Entendo. Não importa o que diga ou sinta, não é? Isso não vai mudar nada.

- Não, não vai.

- [...] Você foi condenado a passar o resto de sua vida preso, trancafiado dentro de si, à sombra do homem que um dia foi!

- Eu aceito.

- Como pode aceitar isso assim, com tamanha passividade?

- Algumas coisas simplesmente não podemos explicar. Apenas aceitamos.

- Besteira! Onde estão sua fé e sua esperança?

- Juntas do meu amor. Perdidas.

- Você é um homem fraco, Vinícius Sanches!

- Não, Sr. Espelho, eu sou um homem insuficiente, lembra?


- “...”

Do Nada... Tudo.


Não importa o que foi ou o que vai ser,
Dentre tudo e todas, eu só quero você.

São seus olhos, é a tua boca, o teu beijo,
Que dentre todas as coisas, no fim, eu desejo.

"A todo instante, ator do instante".



Não é fácil ter que mentir pra mim mesmo todos os dias, dizendo que ela não é a mulher da minha vida, que ela não é meu grande amor, que eu não sou, ainda, e eternamente, completamente apaixonado por cada pedacinho do que ela é. Eu preciso me convencer disso todos os dias, a todo instante, porque se por um momento eu me esquecer, me lembrarei da verdade.

O Anel Que Um Dia Lhe Darei



Espero que um dia, no mais tardar amanhã,
Tudo isso possa se tornar realidade.
Que eu possa lhe entregar o anel de Saturno...
E com ele uma proposta de felicidade.

Os Nossos Nós



Parecia mais um dia normal,
Um dia como aqueles tais.
Mas, de repente,
Não falávamos mais do futuro como antigamente.
Falávamos apenas de passado,
E de passado passou o presente,
E o futuro se pôs distante de nós.
E o fim foi o único meio
Pra desatar todos os nós.

Rainha Do Meu Castelo



Depois de um grande amor tudo o que construímos se torna um imenso castelo de cartas que, com o menor sopro de lembrança, desmorona. Cai e se esvai. E o passado volta. E habita uma vez mais.

AMORECO




Gritei "Eu te amo" daqui.
Escutei "Eu te amo" de lá.
Sorri feliz pensando ser amado.
Inocência minha,
Pelo eco eu fui enganado.

Amor Com Fim




Mas ainda que tua boca diga que me ama
O silêncio dos teus olhos aflige meu coração.

Houve um tempo que sorríamos muito
Em que nossas mãos caminhavam unidas
Como uma oração ao Deus da felicidade
E hoje, ainda que haja lágrimas
Essa lembrança alivia a dor na despedida.

Peço perdão
Se por acaso não cumpri a promessa da eternidade
Porém fui eterno todas as vezes que,
Entre um sussurro e outro,
Ajoelhei diante do milagre dos teu beijos.
E crucificado
Na cruz dos dias que não davam certo
Me sentia um deus
Todas as noites
Que ressuscitava em seu braços
O amor nosso de cada dia.

Não sei se posso ser seu amigo
Depois ter sido seu amante,
Mas depois de ter sido teu amante,
Que graça tem ser seu amigo?

Não quero de volta as estrelas
Que te dei
Em troca de
Todas as vezes que você me levou ao céu.
O amor é um presente
Que poucos podem ter, ou dar.
Amar é um ato de coragem
Já desamar requer humildade.

Quando se dá o último abraço
É porque já faltava braços há muito tempo.

Não quero entender o amor
De minha parte, só queria dizer obrigado.




Não é meu, mas de alguma forma também é, e por isso tive que postar.
Obrigado, Monica.

AMAssado



Em uma outra vida paralela estamos deitados juntos nesse momento. Jogando conversa fora debaixo do edredom. Falando do passado, do presente e do amassado. A gente desAMAssa nossos dias juntos, debaixo do edredom. Eu e você. Meia luz. Vinho. Noite inteira. Mas, tudo isso, em outra vida.

Vinícius de... Ninguém.



A liberdade parece estranha e assustadora para aqueles que passaram tempo demais presos a algo ou a alguém. Confesso estar estranhando, mas ao mesmo tempo achando incrível esse sentimento sincero e sereno de não-pertencimento. A sensação é de ter tirado um peso imenso dos ombros e da consciência, e outro maior ainda do peito! A gente pensa que o que aperta o coração, e o faz doer, é o excesso de amor, mas a verdade é bem oposta a isso, chega a ser completamente antagônica. O que faz o coração apertar e doer é a falta de amor! Falta de amor próprio. A gente precisa aprender a ser mais suficiente. Aprender a conviver melhor com a nossa própria sombra. A gente precisa se amar o suficiente pra ter coragem de encarar o espelho, e não enxergar nenhum fantasma, monstro ou demônio, apenas nosso puro e simples reflexo refletido na pura e simples superfície do espelho. E precisamos aprender a deixar doer. Nem sempre ficar no meio do caminho é sinônimo de derrota. Muitas vezes ficar no meio é o único meio de seguir em frente. Sendo “frente” qualquer outra direção que aparecer pra gente, então, seguir. Às vezes a gente vai tão longe por alguém que acaba chegando perto demais de se perder completamente. Então ficar no meio do caminho às vezes é, também, o único meio da gente se encontrar. Se reencontrar. E recomeçar. E no meio a gente encontra um jeito de ser feliz no todo. Início, meio e fim. Faz bem ficar só, mesmo que de vez em quando, ou de vez em sempre. Vai de cada. O bom da solidão é que uma hora a gente se acostuma ternamente com ela. E aprende a gostar e conviver. E o próprio "estar só" passa a fazer falta. Não sei do dia de amanhã, mas hoje eu sei, e hoje eu sou completamente meu... E de mais ninguém.

Este é o fim deste capítulo.

A Poesia Mais Simples



E já não importa o que eu venha a escrever,
Jamais existirá melhor rima do que Eu e Você.

Minha Ilha Perdida é Aqui, Meu Nascer do Sol.




O mar está cheio de peixes? Bom, que me perdoem os peixes, e quaisquer outros animais aquáticos, mas já me cansei de nadar. Cansei de ver recomeço em tudo, de olhar pro mar e ver uma multidão atordoada, procurando um par. Eu quero paz, calmaria e ilha deserta. Essas são minhas palavras finais.

Um Só/Nó.




Ela e eu: 
Um só.

Ela sou eu:
Eu só.

Só nós dois:
Deixa pra depois.

E o que ficou pra trás?
Tanto faz. 

Sem ela tudo é metade.
Sem ela tudo é saudade.

Tout en Moi



Nous appartenons ensemble.
Nous appartenons à la même amour.
C'est le soleil du matin qui brûle la peau,
C'est serré embrasser, la chaleur!

Do começo ao fim de tudo,
Tudo de nós ao outro pertencerá!
E se um dia não houver mais caminho,
Dos nossos pés um novo nascerá!

Chansons chantées dans la douche.
Danses dansé sous la pluie.
Un ciel plein de brigadier
Comme les lèvres de douceur sucrée.

E todo amor que houver no mundo,
E cada música que ouvir cantar,
E cada verso que eu escreva, tenha certeza,
De que será pra lhe encantar!

O Que Fica é o Amor



Não podemos ser apenas amigos.
Ou casamos amanhã, para sempre,
Ou não nos vemos nunca mais.

Essa é a lição que aprendi a duras penas,
Nas asas, nos braços e duras ausências...
Que hoje me completam a solidão.

Pra gente é tudo ou nada,
Somos extremos e exagerados por natureza,
Na estranheza de nossos atos
É que reside nossa beleza.

Meus versos são inversos ao nosso universo,
Traduzem o que hoje não mais há,
Mas que sei, do fundo do coração,
Que todas essas coisas hão de ficar.

Vermelho



Às vezes eu só quero descansar
Desacreditar no espelho
Ver o sol se pôr vermelho

Acho graça
Que isso sempre foi assim
Mas você me chama pro mundo
E me faz sair do fundo de onde eu tô de novo

Nada sei dessa tarde
Se você não vem
Sigo o sol na cidade
Pra te procurar

Eu bem sei onde tudo vai parar
Já não tenho medo do mundo
Sou filho da eternidade

Trago nesses pés o vento
Pra te carregar daqui
Mas você sorri desse jeito
E eu que já perdi a hora e o lugar
Aceito.

Nada sei nessa tarde
Se você não vem
Sigo o sol na cidade
A te procurar

Nada de meu nesse lugar
A cidade vai pensar
Que nada aconteceu em vão
Você vai me ligar então mais uma vez

L'avventura



Quando não há compaixão
Ou mesmo um gesto de ajuda
O que pensar da vida
E daqueles que sabemos que amamos ?

Quem pensa por si mesmo é livre
E ser livre é coisa muito séria
Não se pode fechar os olhos
Não se pode olhar pra trás
Sem se aprender alguma coisa pro futuro

Corri pro esconderijo
Olhei pela janela
O sol é um só
Mas quem sabe são duas manhãs

Não precisa vir
Se não for pra ficar
Pelo menos uma noite
E três semanas

Nada é fácil
Nada é certo
Não façamos do amor
Algo desonesto

Quero ser prudente
E sempre ser correto
Quero ser constante
E sempre tentar ser sincero

E queremos fugir
Mas ficamos sempre sem saber

Seu olhar
Não conta mais histórias
Não brota o fruto e nem a flor

E nem o céu é belo e prateado
E o que eu era eu não sou mais
E não tenho nada pra lembrar

Triste coisa é querer bem
A quem não sabe perdoar
Acho que sempre lhe amarei
Só que não lhe quero mais

Não é desejo, nem é saudade
Sinceramente, nem é verdade

Eu sei porque você fugiu
Mas não consigo entender
Eu sei porque você fugiu
Mas não consigo entender

Amórfica. Amor, fica.



Aquilo.
Aquela coisa...
Sem cheiro,
Sem gosto,
Sem forma.
Aqui, lá,
Sempre ambígua,
Antagônica,
Amórfica,
Amor.

Livrai-nos



Livro, conjugação na primeira pessoa do singular para o verbo "Livrar". Livro, porque ele te livra da ignorância e do “não saber”. Livro, pois ele te livra de uma realidade muitas vezes caótica e vertiginosa, para te libertar dentro de si, dentro de sua própria essência e imaginação. Leia um livro. E depois leia todos os outros.

Fragmentos



Morre-se uma vez na vida. Certo? Errado. Vive-se uma vez na vida. Morre-se algumas vezes na vida. Morremos algumas vezes ao longo dela. Várias. Aos poucos. Uma hora aqui, outra ali. Deixando um pouco de nós mesmos em outras pessoas. Perdendo um pouco de nós mesmos em outras pessoas. No fim, somos o que restou, o que ficou do que foi doado. Fragmentos de alguém. E é exatamente pela doação, pela fragmentação ao longo de toda a longa, ou breve, vida, jornada, que não se morre em definitivo. Vive-se em definitivo, isso sim. Mas morrer de fato... Nunca! Sempre sobrará algo nosso. Em algum lugar. Em alguém.

"Amor" Por Conveniência.



As pessoas sempre escolhem 4 ou 5 pessoas "namoráveis", em uma determinada hierarquia, ou escala de relevância, claro. Conforme uma dessas pessoas não corresponda, e/ou mostre desinteresse, passa-se para a próxima pessoa da lista. Quando se encontra alguém que se encaixe no perfil, e que demonstre certo grau de reciprocidade, escolhemos aquela como a "ideal". E automaticamente aquela pessoa "é quem estávamos procurando"! Arran, claro. Hipocrisia absurda! E ainda chamam isso, essa coisa, de amor? Chamam isso de amar? Ficamos, namoramos e amamos por conveniência, é assim pra quase todo mundo. É raro alguém olhar, apontar o dedo (não literalmente) e dizer "É ela! É aquela pessoa que eu quero! Que eu amo"! E realmente lutar por ela, apesar de todos os pesares. Então se você agrada 5 pessoas diariamente, pra manter a opção de escolha caso uma pule fora do barco, desculpe, você não sabe nada de amor. Você só é uma pessoa carente e necessitada de sentimentos e atenção.

Sacrifício



A sensação é de que venci a maior batalha de minha vida, mas, como consequência, perdi a guerra. Mas sei que a história será escrita, e contada, por você, meu amor. E realmente espero que seja uma história feliz.

Cora(tra)ção.



Existe algo em você,
Não sei ao certo o quê,
Mas que funciona como um imã.
Que me puxa, me atrai,
Me segura e me mantém.
Talvez não seja algo em você,
Talvez seja algo dentro de mim,
Mas que pertença a você.
Talvez não só puxe, talvez pulse!
Talvez não só atraia, talvez bata!
Talvez não seja apenas sobre atração,
Talvez, também, seja sobre amor...
De corpo, alma e coração.

Minha Íris Tem Seu Nome, Minha Íris Chama-se Monica



Eu te vejo aonde pouso meus olhos.
Eu te vejo nos meus olhos.
Eu te vejo em todos os lugares que vou.
Pois mesmo que você não esteja lá, eu estou,
E assim, de alguma forma, você também está.

Eu sei que não é normal sentir tanto a falta de alguém assim,
E sei também que deve existir alguma razão dentro de mim.
Algo que, mesmo em vão, justifique racionalmente o que sinto.
Mas algo que me permita permanecer são e salvo de você...
E principalmente de mim.

Shhhhhhilêncio!!!



Meu silêncio grita daqui.
O dela grita de lá.
E assim nosso silencioso diálogo não se cala,
Permanecendo para sempre assim, calado.

Não Há Saída



Eu não mereço você.
Não há nada no mundo que eu mereça.
Não há nada neste mundo pra mim.
Não há lugar que eu me encaixe.
Nem coração que me aceite.

Duzentos Mil Litros de Saudade



Eu falo por experiência própria. Já me afoguei, fiquei desacordado, tive que sofrer massagem cardíaca e respiração boca-a-boca. E digo: sentir saudades é a mesma coisa. Por mais que você puxe o ar, ele não vem. Por mais que você chore, suas lágrimas se misturam, se perdem naquilo que está lhe matando. Por mais que me debata, não alcanço a superfície. Tô me afogando de novo. E dessa vez não tem quem faça o coração bater forte novamente. Não tem que traga na boca o ar renovado. Um novo fôlego. Esperança. A saudade é mais funda que o chão do rio, do mar ou do oceano. Bem mais funda. Eu falo por experiência própria.

Minha Visão do Tempo



A vida acaba onde começa o amor. O amor acaba onde começa a morte. Sim, nada de vida e morte apenas. São três grandes ciclos que permeiam nossa existência terrena. A partir do momento em que conhecemos o amor, estamos condenados a buscar entendê-lo até o fim de nossas existências. Vida é tudo o que vem antes disso. Aquilo é vida. Depois disso é amor. O amor é uma fase tão longa quanto a própria vida, mas corre paralela à ela. Complementam-se, completam-se, mas nunca se misturam. Vive-se, ama-se, morre-se. Só acaba o amor quando se acaba a existência, quando se morre, e não quando se acaba o viver. Este já se acabou, nos olhos, nos lábios, na voz, na pele, no suor, no coração acelerado, no frio na barriga, na confusão, bagunça e tumulto internos. Minha vida acabou numa tarde de quinta-feira bem colorida. De céu azul, paisagem verde gritante, e de um silêncio constrangedor, que eu trazia no peito desde que nasci. Silêncio este irrompido por aquele tom de voz o qual jamais viria a esquecer. Eu não vivi desde aquela tarde, aquele dia. Minha vida expirou naquela data aparentemente tão comum e banal aos olhos de terceiros, quartos e quintos. Eu amei dali em diante. O que veio em seguida era apenas amor. E ainda é. Hoje eu amo. Sou amor. Sou feito cento e um por cento de amor. E de amor serei feito, até que se faça passado de mim. Até que a morte chegue numa hora qualquer, e que o amor chegue então ao seu merecido fim.

Queria Poder Entender De Mim e Dela Também



Queria eu entender por que ela mexe tanto comigo. Por que ela me bagunça tanto. Todo. Completamente. Queria eu entender de amor. De saudades. De dor. Queria eu entender de mim, meus caros. Queria eu.

Do Outro Lado Também Sou Eu



Hoje eu vi um fantasma!
Às três da manhã de uma insônia maldita,
Levantei cambaleante para atacar a geladeira,
Ou quem sabe olhar o vazio do céu pela janela.

Não enxergava um palmo diante dos meus olhos,
Era tudo trevas, escuro, inexistência.
Procurei o interruptor apalpando a parede
Da esquerda para a direita, pelo menos quatro vezes.

Não o achava de forma alguma,
Mania minha de nunca achar as coisas,
Como eu mesmo, por exemplo,
Nunca me achei no mundo, muito menos em mim.

Mas enfim...
Acabei desistindo, virei trinta e poucos graus
Para a esquerda e continuei meu caminho glutão-observador,
Agora buscando o frio metal da maçaneta da porta.

O achei com facilidade, diferente do bendito interruptor,
Talvez seja meu costume de nunca achar a luz,
Talvez tenha me acostumado com o escuro,
Mas nunca com minha própria sombra.

Saí do quarto e encontrei uma casa ainda mais sombria,
Meus passos ecoavam no imenso vazio da pequena sala de estar,
E eu lá estava, procurando alguma distração noturna,
Visto a clara traição de minha cama para com meu repouso diário.

Segui me guiando pelo canto da parede,
Logo eu já atravessava o portal que divide a sala da cozinha,
Achei o fogão, a mesa e enfim a geladeira.
Mas ela estava mais vazia do que minha própria alma.

E mais fria também.
Abandonada.
Esquecida.
Porém ligada e viva.

Decidi olhar o céu, as estrelas e a lua,
Para lembrar de alguém que outrora também me refletiu o brilho solar,
Mas era uma noite cinza, nublada, densa e carregada,
Não havia nada lá fora, e nem dentro, apenas eu.

Voltei me arrastando pelo canto novamente,
Logo cheguei ao meu solitário quarto.
De minha solitária cama.
De meu solitário eu.

A primeira apalpada na parede encontrou um interruptor,
Que interrompeu o silêncio escuro do ambiente,
Fez-se luz, clara, vívida,
Porém, o que ela revelara nada tinha a ver com vida.

Ela revelou o imenso espelho posicionado de frente pra porta.
E nele eu vi o reflexo de um homem.
Triste, prostrado, amargurado, solitário, esquecido...
O reflexo de um homem sem fé, sem amor.

Diante de mim, o reflexo.
Diante do reflexo, eu.
Sim, hoje eu vi um fantasma.
O fantasma que vi sou eu.

Achados e Perdidos



"Não me procure mais". Até parece que "não procurar" se resume as externalidades do mundo. Não preciso te procurar pra te encontrar. Não preciso ir a lugar nenhum... A gente encontra pessoas em objetos, fotos, textos, mensagens, lembranças. Às vezes a gente encontra pessoas de olhos fechados. Sonhando. A gente encontra e vai se encontrando. Não em um lugar, mas em todos eles.

Deicídio




O frio metálico se aproxima da testa,
Mãos trêmulas seguram o objeto do fim,
Pupilas dilatadas olham para o vazio a sua frente.
O suor brota da pele, lavando tudo em seu caminho,
E então, explode-se a pólvora no tambor.

O estampido oco invade o silêncio sepulcral
Do apartamento escuro no sétimo andar.
Dissipando, fulminando, dilacerando, extinguindo
Tudo em seu caminho, tudo o que um dia foi.
Sonhos, memórias, desejos, pensamentos.

Joelhos tocam o chão, como que em uma última
E desesperada prece, em busca de um perdão
Há muito negado por si mesmo.
Olhos estáticos parecem penetrar as trevas,
E logo se estende no chão um longo tapete carmesim.

O relógio do quarto para exatamente às 00:09
Da madrugada do dia 18 de Novembro de um ano qualquer.
As máculas escurecidas, sem brilho algum, agora focam asas negras,
Que se abrem em frente a grande janela paralela à porta,
Logo a carne pálida e fria está coberta e aquecida pelo manto da morte.

Na mão esquerda guarda um pedaço de papel amassado,
Que tentaria em vão explicar todos os porquês que surgiriam.
Um nome era constante nas letras borradas e distorcidas,
E na última linha, a inaceitável razão, a resposta, o motivo...
“Por quê? Porque não há nenhuma razão!”.

Naquela noite uma voz foi para sempre silenciada.
Seus ouvidos, ensurdecidos, seus olhos, cegados.
Não havia mais traço algum do homem que um dia fora.
A decisão de dia e hora fora dele. Sua vida, sua morte, suas razões.
No final, o homem fraco, sentimental, se aproximou de Deus.

"Grandes Coisas Têm Pequenos Começos"



Muitas vezes, tudo o que precisamos é de uma pequena faísca, algo que nos desperte para aquilo que jamais poderíamos ver apenas na dependência limitada dos nossos olhos. E quando percebemos, estamos sendo completamente consumidos pelas chamas incandescentes da loucura. A minha faísca foi ela. A minha loucura tem sido ela.

“Madness is like gravity, all you need is a little push.”