Eu não escolhi a liberdade, mas você escolheu me fazer livre.



Você está livre para não me procurar.
Você está livre para não sentir minha falta.
Você está livre de me dever qualquer explicação.
Você está livre para ir, se assim quiser.
Você está livre para não voltar.
Você está livre para seguir o caminho que lhe convém.
Você está livre de ter qualquer dúvida...
E eu, eu estou livre de você.

Uma Estrofe Em Prol Da Liberdade



Acorrenta-te no vento e foge pra vida!
Faz dela cobertor, e te cobre de amor!
Desidealiza-te, liberta-te de expectativas!
Faz de ti interrogação, levando como única certeza o coração.

Sobre Sóis, Luas e Eclipses.



E depois de minhas andanças, tropeços e quedas ao longo da vida, concluo que: O amor é como é lua, e nós, como o sol. O amor é o reflexo daquilo que nós somos. Seu brilho depende única e exclusivamente de nossas ações, e claro, da nossa vontade de brilhar.


Estou Cheio de Pessoas Vazias



Acho que sou a única pessoa do mundo que só pode ser cativado por uma pessoa de cada vez. Não consigo sentir frio na barriga por duas pessoas ao mesmo tempo. Acho que algumas pessoas buscam mais e mais pessoas, milhões de amores, de casos, de paixões, de braços, de olhares, de sorrisos, de elogios, de lábios, de promessas curtas, de frio na barriga... Com o objetivo de preencher o vazio que possuem na própria alma. Alguém que realmente sabe de si, que se conhece o suficiente, que se ama acima de tudo, só precisa de Um Alguém pra lhe completar. Não é questão de ser uma pessoa confusa, inconstante, medrosa, não, é questão de ser vazia. É questão de ser para si mesma uma completa desconhecida. E mais, é uma questão de ingratidão. Por mais que alguém sacrifique a própria vida, os próprios planos, sonhos e o próprio destino por outro alguém, este outro alguém sempre estará em busca de novos e “confortáveis” alguéns... Para lhe amaciarem o ego. Para lhe sussurrarem novas palavras de “amor” tão verdadeiras quanto a própria mentira que vive. Para lhe completarem, para lhe preencherem o imenso e eterno buraco que têm no peito, no âmago de uma alma tão solitária, tão ausente de si própria, vaga, desconhecida, sem nome, sem classe, sem cheiro, sem amor, vazia. Almas vazias não sabem amar. Almas vazias não vivem. Almas vazias não param em pé.

Love is a Knife



O amor é como a lâmina de uma faca. Mas não como a lâmina de uma faca comum! Não, é muito pior. Não podemos vê-la, não podemos senti-la, não podemos evitá-la... Até que já estejamos mortos. Até que ela já esteja cravada e enterrada no peito, e nós, cravados e enterrados no chão!

O Vazio Que Me Preenche



Ninguém é capaz de resistir à loucura do eco da própria voz,
Ninguém resiste ao peso do próprio reflexo refletido na alma,
Ninguém é tão seu a ponto de não precisar de ninguém.

Ponteiros são pontas do tempo que apontam para um ponto futuro.
Futuro este que já não quero estar.
Mas por mais que eu me despeça, a vida insiste em ficar.

E faz sentido, pois em ti achei o meu lugar.
O Amor é você,
E eu sou Te Amar.

Me perdi nos versos inversos,
De um avesso contrário
Ao oposto do que jamais fui.

E hoje, queria ser menos apaixonado pela verdade.
Ela não é para qualquer um.
E eu sou apenas um qualquer.

O relógio do mundo não espera os atrasados!
E a verdade, assim como o tempo, não nos pertencem.
Apenas tentamos fazer uso deles, mas nunca possuí-los.

A liberdade é, às vezes, uma derrota consentida,
Merecida, desejada e necessária.
Mas confesso, não quero ser livre do amor.

Se hoje não tenho nada,
Se hoje não sou nada,
É porque um dia quis ser somente seu.

(Mon) (Vi)e.




Só quero que você seja a dona de uma vida incrível. Que não se deixe vencer pela rotina, pela mesmice. Você é tudo menos mais uma. És única. De você espero tudo, menos uma vida chata, pautada em chatices cotidianas... De você eu espero algo que transcenda, algo visceral. Você é muito mais do que os olhos podem ver. Muito mais do que finge ser. Do que planeja ser. Você é a Monica que vive em mim. É o amor. Só quero que seja tão ou mais feliz do que eu jamais sonhei pra gente. Só quero que seja feliz por você... E por mim. Eu te amo.

Igual a Todos Eles



Você é uma deles.
Você é apenas mais uma...
Que quer casar.
Que quer ter filhos.
Que quer ter uma família.
Mais uma...
Que fabricará a sua própria “felicidade”.
Mais uma...
Que precisa de sonhos de papel.
Mais uma...
Que precisa de outros braços.
E outros abraços.
Que precisa de outros olhos.
E outros olhares.
Que precisa de outras bocas.
E de outros beijos.
Você é só mais uma...
Que não se contenta com tudo aquilo que já tem.
Só mais uma...
Que não resiste às outras almas.
Só mais uma...
Que teme a solidão.
Só mais uma...
Igual a todos eles. 

A Ironia do Medo



As pessoas não temem a morte, ou o fim, por crerem em algo "transcendental" ou "superior", pela inabalável e “indiscutível” fé no “depois”! Mas, sinceramente, se não houvesse no que acreditar, se não existisse tamanho apego ao que vem “depois” as pessoas se entregariam mais aqui, agora, e assim viveriam a vida de forma plena, com o único objetivo de gastar tudo o que podem, têm e são na eternidade existencial que chamamos de vida. No fim, o medo do fim nos faria mais felizes. Irônico, sei, mas o que na vida não é?

Quebrado



Não cometa o erro de pensar que você é ou sempre foi a primeira opção de alguém. Não cometa o erro de pensar que nunca houveram ou haverão outros “alguéns”. Ninguém, absolutamente ninguém, é completamente confiável. Somos todos "únicos", por isso nunca estaremos completamente satisfeitos, sempre faltará a particularidade de outro alguém, ou outros "alguéns", depende do tamanho do vazio na alma. Dentro da imprevisibilidade humana, somos todos previsíveis. Adoramos perder aquilo que temos por aquilo que não queremos realmente ter, ou por aquilo que jamais iremos realmente ter. É a eterna necessidade de “frio na barriga”. Erros, apenas erros da percepção humana. As pessoas estão quebradas, ou apenas com sério problema de mau funcionamento do coração.

Querido Sr. Relógio



Meu relógio é um completo sem noção, extremamente descompromissado, e um péssimo administrador do meu tempo! Fico horas e mais horas encarando-o, pra ver se ele se toca, aperta o passo e para de me atrasar! Será que aquele inconveniente não percebe que estou com pressa de chegar ao tão esperado momento chamado “Depois”? Cansei-me do agora! Agora é esperar. Agora é um eterno "standing-by". Agora será passado daqui a pouco. E agora já é. Então, faça-me o favor de andar o mais rápido possível quando estiver na minha frente, Sr. Relógio, ou te vendo para uma loja de quinquilharias velhas e de mau funcionamento! E, por favor, lhe suplico, tenha pena de mim, adianta-te, e faça com que ela chegue logo aqui...

Início do Fim



Novembro é sempre o mês mais triste para mim. Dia 18/11/1992 foi o pior dia da minha vida, foi neste dia que cometi o meu maior erro até hoje! Comecei a morrer ali... Começo de um fim irremediavelmente triste. Começo de uma doença sem cura, e da cura de uma doença chamada "inexistir". Doença boa de não se curar, na minha humilde opinião. Mas me curei, pra poder adoecer e morrer uma última vez.

Cabe Nós Dois, Cabe a Nós Dois.



Sabe, Sanches, eu não acho nem que meu coração é pequeno e nem que ele seja imenso, eu tenho a certeza de que ele foi feito sob a sua encomenda. Nele não cabe muita coisa e nem muita gente, mas cabe o principal! Cabe o meu amor, cabe você, cabe nós dois, cabem três vidas inteiras... A sua, a minha e a de um filho, ou filha, por que não? Cabe até uma penteadeira se você quiser, mas não cabe saudade, não, isso não cabe... E, meu amor, não importa o que aconteça, Monica sempre será o amor da vida de Vinícius. Sempre! Mesmo que a vida fique estranha, cinzenta, mesmo que às vezes o mundo desmorone sob nossos pés, a gente se tem, e não há papel no mundo que mude isso, e nem borracha que apague. Nós dois somos o sonho mais bonito... Que escolheu permanecer acordado para sempre. Eu amo você.

Sobre Metades, Laranjas e Pedaços.



Às vezes a gente não nasce com uma "metade da laranja", às vezes a gente nasce com vários pedaços! Mas sempre existirá aquele tão bom, tão marcante, tão doce e tão gostoso, que nos fará desistir de todos os outros. Mas e se outros tiverem o mesmo gosto? E se eles forem ainda mais doces? Nunca saberemos! E nem vamos querer ou precisar saber. Tem sempre um pedaço que a gente quer guardar, quer lembrar, quer fazer dele único, eterno. E não há doçura alheia no mundo que nos tirará o sabor do pedaço, daquele pedaço, daquela boca... Daquele amor e daquele beijo. Vai ver a metade da minha laranja seja uma maçã! Bom, com "M" ela começa, e disso eu sei.

Mudança é a Única Constância



“Fico triste quando vejo gente com tanto potencial pra ser feliz, e não consegue enxergar isso e o quanto isso pode trazer coisas boas. Essa mania que as pessoas têm de se acorrentar ao passado. De preferir a segurança ao risco. O velho, ao novo. Tantas possibilidades, tanta gente cheia de disposição e vontade pra ensinar, de te fazer experimentar coisas até então desconhecidas, e você insistindo em se agarrar a beiradinha do conforto, do que é “certo”. Certo porque veio primeiro? Certo porque durou anos? E daí? Não é porque terminou que deixou de dar certo, pelo contrário. Deu certo durante um mês. Durante três, cinco anos. Deu certo da maneira que tinha que dar. Às vezes as pessoas confundem muito esse conflito de sentimentos. Amar a história que se tem com alguém, não significa necessariamente que você ame a pessoa, e sim o que passaram juntos. Não acho que se distanciar do passado seja uma forma de estragar ou desperdiçar uma história. Precisamos entender quando uma coisa não tá se encaixando mais, não podemos ter medo de crescer e conhecer algo diferente. Os momentos mudam, as pessoas também. Ainda mais quando já se experimentou e gostou do que sentiu. É mais que perda de tempo, é perda de vida. De que adianta agir de uma forma com a cabeça em outra? De que adianta pensar nos milhares de benefícios que se tem com a segurança, se em um minuto alguém consegue te bagunçar por inteiro só pelo fato de estar ali? Nunca vou conseguir entender porque não sabemos aceitar as mudanças de uma forma positiva, se são justamente elas que nos colocam pra frente. Cansei desse pessoal que tem medo de viver, que acha que pode chegar a hora que quiser e te confundir todo, pra depois não saber como agir. Ao contrário de muitos, não deixo a vida passar. Ela passa rápido demais pra eu ficar assistindo na plateia enquanto existe tantos outros por aí loucos por uma oportunidade pra escrever uma nova história.”

De Vez Em Quando



Não é preguiça de voltar, de recomeçar do zero, de tentar tudo de novo, de "reviver" cada momento, cada etapa, cada sentimento... Às vezes a gente simplesmente não pode, não consegue, por alguma razão desconhecida não se permite, ou até não deve... Às vezes a gente tem que arcar com as consequências de nossas escolhas, de nossos atos, mesmo que falhos, mesmo que idiotas, mesmo que passionais. Às vezes a gente só quer ir aonde o coração manda. Às vezes a gente só quer tentar... Até o fim.

So...



Someday,
Somewhere,
Somehow,
Someone,
For some unknown, inevitable and inexplicable reason,
Is gonna do something
That will completely change your world.
So…
Be ready!


Roleta Russa



Cada dia contigo é uma roleta russa.
Não sei o que virá, o que acontecerá,
O que será de mim, o que será da gente...

É como viver em um eterno não viver,
É existir na completa inexistência,
É caminhar parado e ali permanecer caminhando.

A dor e o medo de lhe perder me anestesiam,
A saudade e o vazio que deixa em cada ausência
Acabam de certa forma se completando, me completando.

É um grito no escuro,
Uma coragem despretensiosa que teme a si mesma,
É sempre cedo demais para acreditar,
E proporcionalmente tarde demais para voltar atrás.

E mesmo assim, é a maior e mais pura sensação do mundo,
É o arrepio trazido pelo beijo e pelo som da voz,
É certeza incerta de estar onde deveria,
Exatamente quando e com quem deveria estar.

É uma lógica de argumentos completamente furados,
É loucura, insanidade, maluquice, delírio...
Chamemos do que quiser, tanto faz,
É amor, é nosso, só nosso, e sempre será.

Tudo Aquilo Que Precisa Ser Dito



Eu tenho tanto pra lhe dizer,
Mas não sei por onde começar...
É difícil colocar em meras palavras
Tudo o que carrego no peito.

Bom, vou tentar...
Começarei devagar, pela letra “E”.
As palavras nunca traduzirão tudo isso,
Mas enfim, tentemos, enfim, continuemos...

Em seguida arranho a letra “U”,
Atravessada na garganta, como um nó,
Que sufoca, tira o ar, dilacera o peito,
Mas ao mesmo tempo me tira do chão, me faz flutuar.

Dito isso, sigamos em frente,
Pois o tempo corre, não para,
É implacável, senhor da vida e do amor,
E por falar em tempo, digo-lhe então a letra “T”.

E o peso nos pulmões e cordas vocais
Parece lentamente se esvair, aliviar-se,
Ganhar o mundo, e seus ouvidos, meu amor,
E mais uma vez lhe digo a letra “E”... pois é.

Mas então voltamos ao início?
Não, não, de forma alguma,
Nunca estivemos tão próximos do meio,
Mas no alfabeto voltaremos sim...

E é então que lhe digo em meio a suspiros,
Lábios entrelaçados, peles enroscadas,
A primogênita das letras, protagonista de muitas palavras,
Digo-lhe no esforço de um respirar... a letra “A”.

Ah, mas isso parece não ter fim!
Não, não tem mesmo! O sentimento é eterno!
E nele nada se teme,
E olhos nos olhos, lhe dou a letra “M”.

Ah, minha pequena, e como é verdade...
Você me desarma, me usa sem dó...
Desata meu nó, e é por isso que, então,
Entrego-lhe de todo o meu coração... a letra “O”.

“EU TE AMO”.

Porque o que realmente existe é o Agora



Porque a gente só valoriza o que já foi,
O que já não é mais, o que já não pode ser?
Porque o passado é mais vivido e lembrado,
Que o próprio presente, recém-chegado?

Porque os momentos só são lembrados,
Quando assim chamados, lembranças?
Porque não se lembrar de viver e amar,
Enquanto estamos presos na cadeia do agora?

E porque os porquês não respondem tudo,
Se tudo já é resposta de alguma coisa?
E se tudo é resposta de alguma coisa,
Porque ainda pergunto?

Nós dois, dois nós.



Dos muitos papéis que aqui desempenhei,
O mais importante foi amar você.
Se nascemos e vivemos por um propósito,
Por que não o amor? Por que não você?

É o que tinha de ser, meu amor.
A gente se encontrar, se bagunçar,
E nessa bagunça, se completar.
É o que tinha de ser, do amor.

E foi! Da forma mais bonita que poderia ser,
Da forma mais transloucada que pude prever,
Eu, você, Nietzsche, Los Hermanos, os pés descalços,
Nosso mundinho, nosso universo... perfeição.

Em pouco mais de um ano,
“100 Anos de Solidão”.
Sinto sua falta, minha pequena,
Mas sei que nosso amor é um capítulo sem fim.

E pra finalizar o que não tem final,
Deixo-te aqui, com todo o meu amor,
Uma nota de rodapé para que leia depois:
Eu sempre acreditarei em tudo aquilo que for bom pra nós dois.

Inférteis



Estamos vivendo na era da nostalgia! Simplesmente não temos mais a capacidade e a criatividade de gerar ideias e conceitos completamente novos! Por favor, não confunda avanço tecnológico com criatividade, são coisas distintas, pois acredito que nunca na história a tecnologia foi tão utilizada com o intuito de nos transportar para o passado. Hoje somos alimentados por “remakes” e conceitos nostálgicos (repetidos e readaptados) de uma época tão mais fantástica, que acabamos ficando presos em um tempo que já não nos pertence mais... Nunca vivemos tanto de passado quanto hoje. Síndrome de uma sociedade infértil no campo da imaginação.

Nos Passos do Tempo



E de vez em sempre, eu me pego na janela,
Assistindo o tempo passar.
Entre um passo e outro eu penso em você,
Fico rindo sozinho pra paisagem imóvel diante de mim.
Às vezes o tempo tropeça, desacelera o passo,
Parece não andar...
Parece carregar nos segundos o peso de séculos.
Parece cansado de tanto ir pra lugar nenhum.
E eu, ali, na janela, contemplando-o.
Buscando achar em seus passos um espaço vazio,
Igual ao meu,
Um espaço que me preencha.
Uma solidão irmã que me entenda.
Que aceite de bom tom fazer par com a minha.
Que me ame,
Que cuide de mim...
E das minhas horas.

Levantar



Olhando para o teto do quarto,
Enfrento dificilmente mais uma sóbria madrugada...
Viajando em meus pensamentos,
Jamais esqueço da mulher tão desejada...

Ainda lembro como se fosse ontem do dia de nossa separação.
Desviamos nossos destinos, abandonamos o mútuo carinho
E dividimos o, até então, único coração.

Admito que depois de tua partida os dias se tornaram mais difíceis.
As derrotas se tornaram mais amargas
E eu não me via mais capaz de realizar feitos incríveis...

Todos sabem que a mulher é o complemento de um homem
E que amores surgem e simplesmente não somem...

Não houve dia que não carregasse você comigo
E não houve um segundo sequer que eu deixasse de notar tua ausência.
O sorriso, o perfume ou o simples olhar.
Mesmo sendo ignorado, eu continuava a te amar...

Você reformou sua vida e trilhou por novos caminhos.
Eu tentei fazer o mesmo... Levantar e libertar-me dos dolorosos espinhos.

Por mais que eu tente ou me convença temporariamente
Eu mentiria se alegasse não te ter em minha mente.

Quase sem forças eu encontrei a esperança. 
Quem sabe não me venham surpreendentes dias de bonança?
Quem sabe surja um novo amor ou uma viagem para a França?

Eu deixo estar e aprendo novamente a respirar.
Sentindo novos ares, pisando em novos lugares,
Sem que ao meu lado eu consiga te enxergar...

É Você!



Chata é você!
Confusa é você!
Inconstante é você!
Irritante é você!
Doce é você!
Linda é você!
Perfeita é você!
Meu anjo é você!
O amor da minha vida é você!
Seu... sou eu.

Loucos Por Amor



Os loucos sofrem mais...
Vivem mais,
Sentem mais,
Sonham mais,
Amam mais.
São mais felizes.
São mais humanos.
São donos de si.
São sábios,
Pois não fingem saber de tudo,
Só fingem saber de si,
E o pior, ou melhor,
É que realmente sabem.
Sabem quem são,
Pra onde vão,
E com quem irão.
Só o que não sabem é viver em vão.
E nada mais,
O que já é demais.
Resumamos assim:
Loucos são poucos.
Loucos são... loucos.
E se amar é loucura,
Somos loucos sem cura.
E ponto final.

Basta Sentir



Hoje acordei com vontade de sonhar,
Ou melhor, de permanecer sonhando,
Pelo menos até o despertador de uma hora qualquer
Romper o silêncio do meu sono e me botar de pé.

Levantei com vontade de deitar,
Com o corpo pesado, exausto, cansado.
Cansado de uma realidade vazia, cinzenta,
De natureza morta e paisagens paradas no tempo.

O sono muitas vezes representa a vontade de não existir,
A cama, é um caixão diário, onde nos escondemos da vida,
Onde encontramos refúgio das lorotas do mundo...
É isso, dormir é um ato egoísta, um suicídio diário!

E o relógio é uma ferramenta divida,
O tempo é a própria divindade.
Nós, homens, somos bonecos de corda,
Limitados por uma cronologia de atos falhos, e acertos raros.

E mesmo assim, o que tiro do dia de hoje é uma lição:
Sinta a vida!
Exista, não só viva, exista!
Pra vida, é claro, mas principalmente pra você mesmo.

Pior do que nascer ou morrer,
É se esquecer de viver, de ser, de fazer...
Somos feitos disso, de sentimentos,
E quem não sente, morre um pouco diariamente.

Então, vamos de uma vez concluir este raciocínio,
Da forma mais simples e sincera que pudermos:
Pensar é um ato, sentir, um fato.
Pensar cansa, sentir, descansa.

Rei do Seu Castelo




Olhe-se no espelho...
O que você vê?
Um amontoado de nada.

Veja o que se tornou...
É tudo o que planejou?
És o vazio que preenche tua própria carne.

Diga-me o que pensa...
Tem sonhos, vontades e ambições?
Você é um caminho perdido de várias direções.

Olhe para trás...
O que você tem feito?
Você coloriu tua vida com as cores de um descolorido só.

Reflita sobre suas escolhas...
Quem é você? Onde está? Com quem está? Porque está?
Essa sua máscara de carne será também a tua ruína.

Liberte-se de si mesmo.
Você é o dono da sua vida...
Ou um mero e desastroso resultado de opiniões alheias?

Lembre-se,
Não existem segundas ou terceiras chances na vida...
Só pode existir um rei em seu castelo.

Pedaços de Mim



Ultimamente tenho pensado em coisas bonitas,
Falado coisas complicadas,
Amado alguém, vivido.

Se antes dormia com um rascunho de mim,
Hoje acordo com uma poesia sobre nós dois.
Uma para cada eternidade diária de beijos, abraços e carinhos.

Que é pra deixar de vez a mania de escrever sozinho
Essa nossa maluca, às vezes confusa,
Mas sempre sincera, história de amor.

Vou parar de lhe enviar mensagens de frases bonitas,
E vou começar a lhe enviar pedaços de mim...
Quem sabe uma hora me construo do teu lado.

A Maior e Mais Perfeita Máquina do Mundo é o Coração



É bom saber que ainda existe sintonia no caos de um mundo conflitante em que vivemos hoje. Sim, existe sintonia. Ao longo de nossas vidas o que mais encontramos são pessoas confusas, vazias, perdidas dentro de si. Resultado de um mundo confuso. O mundo é um lugar cheio de pessoas vazias. Não há mais vagas! Homens nada mais são do que um reflexo do mundo. Do que um reflexo dos próprios homens. Mas durante a longa e árdua caminhada que somos forçados a fazer por consequência de um ato irracional nos primórdios de nossa existência (sim, se pensarmos bem, somos frutos de um ato irracional inicial, um ato baseado meramente no instinto selvagem de sobrevivência do “mais forte“) encontramos pessoas complexas, com um conteúdo de ser, estar, fazer e viver tão vasto, poderoso e profundo que sentimos, mesmo que por alguns instantes, um arrepio que transcende a carne, pele, ossos, pelos e cabelos, chegando até o recôndito mais profundo e desconhecido da alma, e logo nos vem o inocente pensamento de: “Sim, tudo isso valeu a pena. Sim, eu não estou sozinho”. Bom, não está em partes. Todo ser humano está sozinho. Os únicos que guiam nossos passos somos nós mesmos. Os únicos que comandam nossos atos somos nós mesmos. Os únicos responsáveis por nossas escolhas, e consequências dessas escolhas, somos nós mesmos. Sim. Nós, nós e nós. Sim. Sós, sós e sós. Mas, veja bem, estar sozinho não significa necessariamente ser sozinho. É bem diferente. No nosso íntimo mais escondido, no âmago existencial de cada um, sim, estamos sozinhos, somos responsáveis por nós mesmos, mas, nunca somos levados a tomar uma decisão ou atitude senão por alguém e para alguém. Pois é, ninguém vive sozinho. Somos eternamente condenados ao sentimentalismo. Ao arrepio que atravessa o corpo e parece dilacerar o que encontra pelo caminho. Aos olhos dilatados. Ao coração disparado. À falta de ar. Ao frio glacial que invade o estômago. Ao medo visceral da perda. Ao medo, puro e simples medo. O mundo é movido por isso, os homens são. Pelo medo. E pela coragem, claro. Antagonista principal do mal do homem. O medo. O que seria da coragem se não houvesse o seu gênesis, o seu negativo... O medo? Bom, nada. E nós também não seriamos nada. Na verdade, seriamos sim, um bando de desmiolados, malucos e insanos fazendo o que nos desse na teia, fazendo e acontecendo a torto e a direito sem pensar nas consequências positivas ou negativas dos nossos atos. E penso... Será que isso não seria bom? Será que sentir mais não é melhor do que pensar mais? A gente finge que pensa, na verdade não pensamos coisa alguma. Apenas consideramos e escolhemos, no fim, o que nos é mais confortável, o que nos é mais agradável, o que nos é mais conveniente, e só. Quem pensa muito escolhe errado. Quem pensa muito vive pouco. Quem pensa muito morre em vida. O mundo não precisa de pessoas pensando e chegando a conclusões equivocadas sobre o próprio mundo e sobre a vida, o mundo precisa de mais fé e coragem no amor. Sim. Lá vem ele falar de amor. Sim, mas falar de quê? De dinheiro? De bens materiais que supostamente compram e pagam o “preço” da felicidade? De capitalismo? Não, não estou aqui para falar de política e assuntos que outrora abordarei com mais razão e menos coração. Estou aqui para falar desse sentimento em falta no mercado. Isso sim faz falta. Amar. Despir-se por completo, esquecer-se de tudo e todos, do que vão pensar ou falar... Amar realmente como se não houvesse um maldito amanhã! O homem tem amado pouco. Estamos aperfeiçoando armas e tecnologia, e esquecendo-nos de como usar o coração. Estamos esquecendo de nos mover pela coragem, estamos esquecendo de dizer um “eu te amo” que realmente signifique “eu te amo”. Estamos esquecendo de passar horas ao lado da pessoa que amamos, e não de passar horas na frente de uma máquina que supostamente está nos mantendo conectados com o mundo. Não, não está. Está nos afastando dele, criando mundos artificiais, valores artificiais, sentimentos artificiais, amores artificiais. O homem precisa reagir. O homem precisa de coragem, para rever seus conceitos, para repensar o mundo, afinal, é disso que se trata viver? É isso que queremos para nós e nossos filhos e netos e bisnetos? Um mundo movido por corações de bateria? Por engrenagens e não sangue? Inteligência artificial e não sentimentos? Dinheiro, dinheiro e mais dinheiro, e nos esquecermos do que realmente vale em toda essa jornada? Não sairemos vivos da vida. Dela não levaremos absolutamente nada. Mas é esse o legado que quer deixar? É assim que quer ser lembrado? O homem que tinha tudo, mas que não teve absolutamente nada. É assim que quer preencher as páginas da sua breve história? Bom, só peço que pense. Reflita. Ou não, faça o que bem entender, é livre para fazer o que quiser. Mas uma hora a ficha cai, e a vida cobra, e o peito aperta, e daí então, já pode ser tarde demais para reparar os erros cometidos. Para recuperar as pessoas perdidas. Resgatar o amor exilado. E a vida não vivida. Só o que posso lhe dizer é... Ame! Ame quem faz sua vida mais bonita! Ame! Ame quem lhe faz bem! Ame! Simplesmente, ame! E depois me diga, ou melhor, diga a você mesmo, se não valeu a pena. Eu garanto, terá valido cada efêmero segundo e instante de vida. Eternize-se em vida, para eternizar-se também em morte.

Saudade É Pra Quem Tem



A saudade é tanta, e tamanha,
Que já se tornou física, material, visível, palpável...
Personificou-se diante dos meus olhos, da minha carne,
E principalmente, dentro de mim...
Meus olhos fogem, tentam evitar as esferas negras
Que me procuram em cada gesto, em cada pensamento,
E quando não mais resisto, encaro-a de volta,
E vejo você, no reflexo de mim mesmo.
Olho para os cantos escurecidos do meu quarto
E neles vejo teu contorno, tua silhueta,
Que brilha em meio à penumbra eterna
Desse vazio abissal que tua ausência me traz...
Eu corro, parado, inerte, fujo para dentro de mim,
Alimento-me envaidecidamente da tua imagem,
Que vem com a serenidade intranquila de um furacão,
Na forma de doces lembranças, de memórias coloridas,
De um ontem fantástico, mágico, nosso...
De um hoje doloroso, por você não estar aqui...
E de um amanhã incrível, que há de raiar em uma nova manhã,
No dia em que você chegará, pra nunca mais ter que partir.

Como É Bom Te Amar



Como é bom...
O abraço que segue a chegada,
O silêncio que segue o abraço,
O olhar que segue o silêncio,
O beijo que segue o olhar,
O sorriso que segue o beijo.
E o que segue, e sempre seguirá,
É a certeza de te amar.

Coisas Que Só Você Faz



Rasga meu silêncio
Com a doce melodia da tua voz.
Sacia minha sede
Com a imensidão molhada dos teus beijos. 
Extingue minha solidão
Com a intensidade inigualável da tua presença. 
Atiça minha alma
Com o toque ardente da tua pele. 
Apaga meu sofrer
Com o brilho radiante dos teus sorrisos. 
Confunde meus sentidos
Com a essência feminina do teu perfume. 
Aponta meu caminho
Com o esplendor nascente do sol que vem em mim raiar. 
Colore meu presente
Com a mais bela aquarela de cores futuras. 
Desata meus nós
Com a tranquilidade serena dos teus abraços. 
Bagunça meu tempo
Com a reorganização desordenada dos nossos eternos momentos. 
Destrói meus medos
Com a profundidade arrebatadora do teu olhar. 
Salva minha vida
Com esse seu jeito louco de me amar.

[Untitled] Você olhou o Céu hoje?

            Já parou pra pensar na sua vida? Como vive, sua  rotina, o que possui, as pessoas que ama e as que te amam..e mesmo sua vida sendo maravilhosa, em algum momento você pensa: Something is wrong. Então você me diz que a vida de ninguém é perfeita (e é verdade), mas aceitar isso é o mesmo que dizer que as pessoas são corruptas e egoístas de forma natural, quando não deveria ser. Mas isso é assunto pra outro momento.
Então você analisa tudo o que tem e o que não tem, mas nunca está satisfeito. E nem deveria mesmo. Você provavelmente já ouviu dos pais, tio ou até de um amigo a clássica frase: "levanta as mãos pro céu e agradece a Deus pelo que tu tem". Ok, vamos lá. Primeiro que se você não louva  o Todo Poderoso, logo perde-se grande parte do significado. Mas vamos extrair algum sentido dessa frase. Você olhou o céu hoje? Viu o Sol? Sem dúvida é algo lindo e nós realmente temos que valorizar estarmos vivos e podermos ver tal beleza. Mas quando a noite cai e nos encontramos no lar (não necessariamente em casa), o sol já se pôs, o céu tornou-se trevas,e você de volta a realidade. 
Muitos são infelizes por não terem nada, mas outros, por terem demais.  Associamos muito dinheiro e bens à felicidade e todos sabemos que não é verdade. Ajuda sim, bastante, mas nem sempre. Olhe em volta e veja que o ato de sorrir é comumente coletivo, as melhores coisas da vida são coletivas. Uma banda, esportes, jogos, namoro, escola e tantas outras. 
Então eu fico me perguntando: do que adianta ter os instrumentos, mas ninguém pra tocar com você? Os controles, as  cartas.. e ninguém pra jogar? No fim do dia, ninguém pra deitar do seu lado. Nunca.  A escola acaba logo, e não volta. E então? O que fazer?
         Se você leu até o final e tava esperando alguma lição de moral, sinto mas  vou decepcioná-lo. Nenhum ser humano terá a capacidade de te responder isso, estamos no mesmo barco afinal. Mas faz assim, eu vou falar como eu aprendi, e você fala pra alguém quando pedirem um conselho: seja grato pelo que tem, olha para o céu e admire as nuvens. Saia de casa, pratique um esporte, ligue para aquela pessoa que você pensa todos os dias. 



Os Atos do Nosso Amor



O Primeiro Ato – Um Homem Solitário

A vida não tem roteiro,
É tudo um eterno improviso.
Foi então que naquela linda tarde de verão
Encontrei o teu sorriso.

Eu era um homem solitário,
Ausente a mim mesmo,
Havia perdido meu coração em algum lugar...
E sinceramente não sabia se queria encontrar.

Mas o amor acontece,
E você aconteceu,
A mulher que a vida guardou pra mim
Enfim apareceu...

O Segundo Ato – O Sanches e a Monteiro

De início suspeitei que fosse uma escolha
E não um acontecimento,
Mas o legal é aceitar que nada é por acaso,
Mesmo sabendo que nosso caso já tinha um prazo.

Começara o segundo ato de um drama shakespeariano,
Renasciam em novos tempos os Capuletos e Montecchios.
Então me diga, quais eram as chances
De dar certo entre Monteiros e Sanches?       

Mesmo assim, nossa vontade prevaleceu,

E o tempo começou sua mais bela história a compor.
Lutávamos por algo ainda maior que o mundo...
Dois corações, munidos e unidos em prol de um amor.

O Terceiro Ato – A Cor da Vida é o Amar

Os melhores dias haviam chegado,
O pincel parecia pintar em cores tudo o que existia,
Sonhos de um futuro começavam a aflorar,
Você, eu, nosso amor, o pôr do sol e o azul do mar.

Você se tornou pra mim os dois lados de uma moeda,
A calmaria e a furiosa tormenta do mar,
Você era em mim tempos de caos e de paz,
Era para meu barco o único e desejado cais.

Caminhávamos sempre em uma linha muito tênue,
Era realmente difícil distinguir onde começava
O nosso amor e terminava a nossa perdição,
Onde renasceria a solidão e pereceria a salvação...

O Quarto Ato – Não Deixe o Céu Cair


Algumas histórias simplesmente não acabam,
Alguns amores simplesmente não morrem.
Só se aprende isso com a iminência do fim,
Que rasga a alma de quem ama
Tal qual um mero e frágil pedaço de cetim.

Me perguntei por tempos se faltou vontade,
E concluo que na verdade o que faltou foi coragem!
Mas pra que tanto medo, da vida não se leva nada,
O que realmente vale de tudo isso é a viagem, a jornada.

Mesmo assim a derrota foi categórica,
Fui destruído por uma força que é maior que tudo,
Fui consumido pelo vazio solitário da saudade,
E da vida já não esperava nenhuma continuidade...

O céu então começa a desabar,
O mundo subitamente perde sua cor,
Seria a simples ausência de alguém para amar
Ou a completa e total ausência propriamente do amor?

O Quinto Ato – Ajuda-me a Escrever a Nossa História

Mas daí acontece o improvável,
Daí a gente entende o porquê de amá-la,
Você entende por que o amor da sua vida
Está exatamente, e estranhamente, na sua vida...
E então no quinto ato do amor, fecha-se a ferida.

A história começa a ser recontada,
As personagens nunca deixaram de existir,
As páginas em branco anseiam por tinta,
E olha que ainda nem passamos dos trinta!

Quantas vidas esse amor já não viveu?
Quantas idas, quantas vindas, quantas voltas.
O coração é um labirinto confuso,
Chego a pensar que dos órgãos é o mais obtuso.

O Último Ato – Reticências

Existem amores que se perpetuam,
Não pela beleza dos acontecimentos,
Mas pela loucura de seus portadores,
Que parecem ignorar completamente seus males e dores.

O anjo mais bonito foi enviado pra mim,
Nunca soube ao certo de meu merecimento,
Mas isso não importa, não está em questão,
O que realmente vale do amor, é a intenção.

Ouve-se das paredes do meu quarto
Que você está voltando pra mim,
Os ventos que hoje entram pela janela
Já trazem de volta o teu perfume de jasmim.

O portão abrirá de novo com o teu sorriso,
As manhãs ensolaradas trarão de volta o teu brilho.
Meu sofá e minha cama sentirão uma vez mais o teu calor,
E logo estaremos trilhando novamente o caminho do amor.

Ela sempre soube como me dobrar,
Parece ter nascido com o dom de me encantar,
Cada gesto, cada sorriso, cada olhar,
Sempre um convite para novamente me apaixonar.

Ela é meu raio de sol, meu cintilante brilho de luar,
Ela é a razão de tudo isso, de tudo aquilo,
E também de todas aquelas outras coisas mais,
Ela é a única capaz de em sua completa confusão, trazer-me paz.

You had me at "Hello"...



Minha cama tem colchão,
Tem travesseiro, tem lençóis e cobertor.
E mesmo assim está vazia,
Pois não tem você, amor.

Quero você esparramada em minha cama,
Completamente misturada aos meus lençóis,
Pra derramar sobre minha pele o teu perfume
E bagunçar o resto de juízo que eu ainda finjo ter.

E foi exatamente por perder o meu juízo,
Que corri contra a vida para enfeitiçar o tempo,
Pra que ele só mostrasse o que houve de mais bonito.
E acabei ficando eternamente preso a você.

Você, que sempre me pergunta as razões de te amar.
Não sei, meu amor, vamos deixar o tempo falar,
No caminho vamos catalogando cada uma,
E é claro, descobrindo outras muitas.

E mesmo que nossos caminhos sejam diferentes,
Ou pelo menos pareçam às vezes se diferenciar,
A gente vai acabar se encontrando no final.
O coração é pequeno, mas só guarda coisas grandes.

E esse teu anel pode até dizer que você tem alguém,
Mas os teus olhos gritam desesperados que você é sozinha.
Então, deixa eu te roubar pra mim?
Só quero te mostrar que existe um lugar chamado "Ser feliz".

Sabe, é incrível como até sua respiração me tira o ar.
E como a gente escreve aos poucos pra se amar aos montes.
Eu só quero te levar aonde céu e mar possam se encontrar,
Pra gente se perder, e se achar, dentro de cada um.

E pra então na paz de nós dois,
Eu poder no fim, enfim dizer que:
Apesar de todas as rimas, frases e palavras bonitas...
Você simplesmente me ganhou no "Olá".

Como Nascem os Mortos



Era uma vez a solidão.

Dessa solidão, nasceu um ideal.
Desse ideal, nasceu uma vontade.
Dessa vontade, nasceu um desejo.
E desse desejo, nasceu a coragem.

Dessa coragem, nasceu uma busca.
Dessa busca, nasceu um encontro.
Desse encontro, nasceu o encanto.
E desse encanto, nasceu uma amizade.

Dessa amizade, nasceu o carinho.
Desse carinho, nasceu uma paixão.
Dessa paixão, nasceu um amor.
E desse amor, nasceu um sonho.

Desse sonho, nasceu um caminho.
Desse caminho, nasceram obstáculos.
Desses obstáculos, nasceu a dor.
E dessa dor, nasceu uma necessidade.

Dessa necessidade, nasceu a ausência.
Dessa ausência, nasceu a desilusão.
Dessa desilusão, nasceram as lágrimas.
E dessas lágrimas, nasceu a separação.

Dessa separação, nasceu a distância.
Dessa distância, nasceu um vazio.
Desse vazio, nasceu a saudade.
E dessa saudade, mais uma vez a solidão.

A Beautiful Mistake



Nasce pro sol,
Levanta-te pro tempo,
Prepara-me pra vida,
Que eu te ensino o que é o amor.

Escolhe viver essa nossa loucura sem sentido,
Quero te ver raiar sublime em meu horizonte,
Porque você é e sempre será meu único raio de sol,
E a razão do infinitivo que há no verbo amar.

Concebida em época de tormenta,
Filha da cólera e do próprio caos,
Pessoa essencialmente confusa e amórfica,
Porém, tão linda quanto à beleza permite ser.

Menina maluca, caminha nas nuvens,
Se às vezes tropeça,
Cai serena como a chuva
E brilha forte nas sete cores do arco-íris.

Ela é um concerto de rock ‘n roll
Em pleno teatro de ópera clássica.
É desordeira por natureza,
Só faz aquilo que quer, mesmo sem saber o que.

Sinceramente, do fundo da minha razão,
Não sei se ela é um erro,
Se for, é dos erros o mais belo...
E aquele que sem dúvidas quero viver pra mim.

Mas eu não cometo o mesmo erro duas vezes,
Não, eu cometo logo cinco, dez vezes,
E cometerei outras duzentas se puder,
Só pra ter certeza de que é errado.

Você é o meu anjo, a minha flor,
A minha mulher.
Você é o amor da minha vida...
E do que mais vier.

E assim vou vivendo Liliane,
E nós, vamos vivendo nosso amor.
Ontem, hoje, amanhã...
E na eternidade de cada dia.